sábado, 5 de abril de 2014

VER IMAGENS CHOCANTES NÃO AJUDA FUMANTES COMPULSIVOS A ABANDONAR CIGARRO!

     
O tabagismo foi elevado a categoria de doença pela Organização Mundial de Saúde (OMS) desde 1992. É uma doença grave e sorrateira, mata aos poucos e quando menos se dá conta manifesta sintomas assustadores e muitas vezes incontroláveis. O tabaco é uma droga lícita no Brasil.
        A técnica veiculada no Brasil desde 2004 com fotos de membros amputados, órgãos comprometidos e outras imagens chocantes em embalagens de cigarro, tem base comportamental. Todas as imagens são reais e as causas demonstradas nas embalagens são verídicas, ou seja, realmente o consumo de cigarro causa os efeitos das imagens.
Com a inserção de um estímulo aversivo, buscava-se ter uma diminuição na resposta de fumar dos dependentes.
        No ano de 2012, também os Estados Unidos se uniram a dezenas de outros países a estampar as imagens que seriam aversivas aos fumantes.
        Essa iniciativa se baseia em algumas pesquisas, que mostram que os fumantes acabariam se lembrando do risco que correm ao ver imagens induzidas pelo cigarro. Porém novos estudos, como um apresentado no encontro anual da Association for Psychological Science, sugeriu que essa estratégia não produz o efeito desejado. Para chegar nessa conclusão científica, o psicólogo Jamir Arndt, da Universidade de Missouri, analisou dois grupos de alunos- o primeiro fumava moderadamente e o segundo era compulsivo- Ele pediu que os voluntários respondessem alguns questionários com perguntas que induziam pensamentos que despertavam angústia, como reprovação em exames e até a própria morte.         Em seguida, os pesquisadores ofereceram um cigarro aos voluntários e mediram o volume, o fluxo e a duração de cada tragada.
        Os jovens que fumavam pouco, realmente o fizeram com menor interesse. De acordo com o pesquisador, os voluntários podem ter reagido a ideia de finitude tentando reduzir sua própria vulnerabilidade. Os estudantes que fumavam muito, porém, reagiram com mais compulsão. O pesquisador sugere que talvez, inconscientemente, esses fumantes tentavam dissipar o sentimento negativo com uma atitude poderosa- o fumo.
        A descoberta sugere que o fator psicológico que envolve a dependência e a perspectiva da morte seja mais complexo do que se acreditava anteriormente.
        Assim, as advertências visuais nas embalagens de cigarro não surtem o efeito desejado e sendo assim não funcionam, pois não atingem diretamente o sistema de recompensa cerebral causando uma extinção comportamental do comportamento de fumar.
        Para que um indivíduo realmente pare de fumar, é necessário primeiro, a motivação sincera em parar de fumar. Procurar ajuda de profissionais, psicólogo, psiquiatra, entre outros. Porém nenhum profissional poderá ajudar sem a real motivação em parar de fumar.


        Parar de fumar não é uma tarefa simples, pelo contrário é muito difícil e angustiante devido ao período de abstinência. Se você tem o hábito de fumar saiba que SIM É POSSÍVEL, todos os fumantes podem parar de fumar independentemente da intensidade em que fuma. Saia da zona de conforto e melhore sua qualidade de vida.


sábado, 22 de março de 2014

ANIMAIS NO ÚTERO

Os animais são incríveis, a gestação deles varia de acordo com a espécie, apresento aos senhores estas graciosidades de animais e sua formação no útero materno.

Golfinho
 

Cachorro





 

 Pinguim


 Tubarão
 
 
Elefante

quinta-feira, 13 de março de 2014

HORA DE CRIAR NOVAS METAS


 
É comum no final e início do ano a criação de novos objetivos, novos planos, comportamentos supersticiosos, e até mesmo simpatias e promessas com o objetivo de que o próximo ano seja diferente.

Depois de todo o sofrimento do ano anterior, de todas as lutas, surge o desejo do renascimento das cinzas para que, como a fênix, aconteça um ano melhor do que o que tivemos.

E como devemos fazer isto?

A resposta é simples, abrir o compartimento secreto, existente em todos nós, onde estão armazenados nossos hábitos, os atalhos de nossa mente (esquemas), nossos hábitos do coração (todos adquiridos, nenhum inato).

O primeiro passo pode ser o levantamento das nossas reações impróprias e que foram por impulso. E em sequencia, com muito empenho e motivação, fazer um levantamento dos hábitos destrutivos que se acumulam ao longo dos anos, como por exemplo: falar sem pensar, falar alto quando nervosos, desconfiar das pessoas sem motivo, não deixar as pessoas explicarem por que estão agindo desta ou daquela maneira, entre outros...

Depois disto perceber quais sensações são guardadas desnecessariamente: abandono, por exemplo, perda de entes queridos, ciúmes infundados, relações obsessivas.

Corrija um humor desagradável em vez de deixar que ele te domine.

O tempo é um bem que uma vez perdido não podemos reaver. Por isso cuide bem dele, não desperdiçando com quem não merece, ignore palavras e atos que não acrescentam.

Começar tudo outra vez, uma frase deve ser considerada “ano novo, vida nova”, então renove seus votos de amizade, de amor, companheirismo e fique tranquilo neste processo.

Conceda, e acima de tudo peça perdão, o perdão deve ser concedido também dentro de si, não se trata de estar certo ou errado mas de guardar ou não sentimentos destrutivos. Entenda que muitas vezes, as pessoas fazem o melhor que sabem, mas nem sempre o melhor que sabem é realmente o melhor.

Para finalizar é importante também que reconheça seus limites, ou seja, faça um mapa do seu território; o que tem condições de conviver em paz e o que não tem tolerância; feito este mapa, afaste-se de tudo que lhe leva a se comportar no extremo dos limites.

E não se esqueça de que TUDO NA VIDA É TREINO, se não tiver muita habilidade em determinadas áreas tenha certeza que você poderá adquirir.

domingo, 9 de março de 2014

ORIENTAÇÃO VOCACIONAL E PROFISSIONAL

       

        Todos conhecem Leonardo Da Vinci, o que poucos sabem é que ele não se contentava apenas com uma “escolha” profissional.

        Ele foi arquiteto, não satisfeito, resolveu ser engenheiro. Depois foi botânico. Como se não bastasse virou cientista. E se superou novamente para ser pintor.

        Com base nas escolhas profissionais de Da Vinci, não podemos dizer que ele não foi bem sucedido com elas. Contudo, verifica-se que quando estamos satisfeitos, tendemos a manter o processo estabelecido. Será que Leonardo Da Vinci era feliz em suas escolhas mesmo tendo sucesso nelas? E, sendo assim, por que teve tantas profissões?

        Para responder a estas questões, devemos saber que sucesso profissional é diferente de estar feliz com a escolha realizada. Somente podemos dizer que gostamos de uma profissão, quando conhecemos suas interfaces. A orientação vocacional, que é realizada com muita perfeição pelos profissionais da Psicologia, possibilita ao orientando, conhecer mais sobre suas escolhas e faz com que entenda os objetivos estabelecidos a curto, médio e longo prazo. Os Psicólogos possuem instrumentos, jogos e testes que possibilitam a nitidez das escolhas profissionais e reorientação de carreira. Destaca-se assim o “jogo das profissões” criado e elaborado pela Doutora em Psicologia Sandra Bertelli, que é docente da Unisa (Universidade de Santo Amaro). Para que a escolha profissional seja integra, é necessário que o sujeito tenha em vista três pontos fundamentais chamados de “A fórmula do Sucesso”:

  • O que o mercado precisa.
  • O que se gosta de fazer.
  • O que garante retorno financeiro.

Sem que um destes pontos sejam contemplados, certamente a escolha virá a ser frustrada.


        Com base no que foi dito até aqui, é importante perceber que a escolha profissional deve ser realizada não apenas para seguir a profissão que os pais ou avós tiveram, mas o que realmente o sujeito tem melhor aptidão e vontade, assim sentirá prazer no que faz. Um ponto importante a ser destacado é que a escolha não deve ser feita, como muitos hoje em dia fazem, ou seja, apenas porque na área se obtém retorno financeiro. Saiba que um sujeito que não tem habilidade por certa profissão, certamente será superado por outros que tem, e sendo assim, também haverá frustração.
        Por isso seja livre para a escolher a profissão mais adequada, mas tenha em vista se as consequências serão positivas também para a sua motivação e auto-estima.

domingo, 16 de fevereiro de 2014

LEMBRE-SE


É assim que vejo você,
Cintilante como o Sol,
Aquecendo meu corpo,
Dando sentido a meu ser.

Não consigo mais viver
Sem o seu suave beijo,
Lembre-se que minha alma precisa viver
Com o calor de seu amor.

Se você não consegue viver sem mim
Nem eu consigo sem ti;
Em um céu estrelado
Seu brilho é o mais intenso

Em estradas sem destino
Você é meu horizonte,
Lembre-se,
Minha vida perde o foco,
Pois meu caminho é sua fronte

Ouço uma voz gritando,
É meu coração ardendo por ti,
Já é o dia seguinte,
E parece que o tempo,
O tempo não está passando.

 
O tempo parece sorrir para nós
Como se cantasse nossa união,
Saiba que
Uma pedra incomoda,
Mas prefiro ficar com ela.
 
Eu não sei mais viver,
Eu não quero mais viver sem ti,
Quando se ama não existe tempo,
Pois o tempo corrói como ácido
 
Não quero uma fantasia,
Tens pecado como eu,
Vamos juntar nossa utopia
Para que se torne uma.
 
Você não conhece a mim,
Mas eu conheço a ti,
 
Se ao seu lado eu estiver dormindo nunca me acorde
Se ao seu lado estiver acordado nunca me deixe dormir.


sábado, 15 de fevereiro de 2014

Resposta a dúvida de Leitor do Nosso Blog



Olá.


Meu nome é joão¹, estudo administração na Universidade Nove de Julho, moro próximo a universidade, gostaria que me explicasse um pouco melhor a parte do seu blog que fala que somos livres para fazer escolhas. Não parece que é uma realidade, pois o ser humano tem uma inclinação a agir de determinadas maneiras. Sou homossexual, sempre percebi que eu era assim, não acho que escolhi ser como sou. Desta maneira não sou livre para escolher ser homossexual. Poderia me explicar melhor?



Caro leitor, primeiramente parabéns pela iniciativa em buscar compreender o que não está claro para vc.
Primeiramente vamos esclarecer alguns pontos, precisamos fazer isso para poder responder a esta tão complexa pergunta que envolve múltiplos fatores.
Os comportamentos são divididos em dois grandes grupos: Comportamentos Respondentes e Comportamentos Operantes.


No caso dos Respondentes ou Automáticos pode-se utilizar como exemplo a dilatação do olho frente a Luz ou retração em ambientes escuros, percebe-se que não se pode controlar isso, é automático, em outra palavra, reflexo. Comportamentos Reflexos Inatos garantem nossa sobrevivência. Não podemos controlar, “não somos livres para optar em dilatar nossa pupila, ou suar ao sol, ou ainda tremer no frio”. Desta maneira fica claro que não podemos escolher o que nosso organismo tenha reação de maneira antirreflexo, hoje se sabe que com o tempo de exposição aos mesmos estímulos a resposta é minimizada. Assim uma pessoa que se desloca a Antártica sentirá mais sensação de frio do que uma pessoa que habita próximo a este lugar, a sensação de frio é a mesma, porém a intensidade do estímulo pode provocar uma maior ou menor magnitude das respostas, estas são leis que governam os comportamentos reflexos.

Para responder a sua pergunta é necessário ter isso claro, pois saber o que é inato e o que é aprendido exerce uma grande diferença.

A Homossexualidade é apenas uma das formas da sexualidade. A sexualidade é uma resposta inata dos organismos. Existe uma diferença entre identidade homossexual e comportamento homossexual, um sujeito pode ter a identidade homossexual, mas escolher em não ter comportamentos homossexuais. Assim como sujeitos com identidade heterossexual que, da mesma forma, podem escolher em ter ou não comportamentos heterossexuais. Esta escolha é controlada de maneira livre, ou seja, o sujeito pode escolher em executar o comportamento ou não. Podemos utilizar como exemplo a Igreja Católica, para que um sujeito se torne Padre deve ter em vista que não poderá ter comportamentos sexuais devido a sua escolha específica. Os sujeitos Livremente escolhem em não ter comportamentos sexuais. Optam assim por uma vida Celibatária, ou seja, sem o casamento e comportamentos sexuais.

Assim deve ficar mais clara a compreensão. Você disse que é Homossexual, então pode-se concluir que você tem a identidade homossexual, até aqui tudo bem? Acho que sim. Você pode escolher em ter ou não relacionamentos homossexuais, em ter contatos sexuais homossexuais. Porém se não escolhesse mudaria sua identidade? Claro que não. Você é livre para escolher ter contatos homossexuais, a liberdade se encontraria aqui. Você não é livre para ter a identidade homossexual.


Digamos que você escolha ter comportamentos sexuais homossexuais, e que você não aceite ter sua identidade. Você seria “escravo” das consequências de ter frustrações, em se rejeitar, ficar triste consigo, se sentir injustiçado, porém executar estes comportamentos, a priori, seria uma escolha sua. As respostas citadas teriam uma menor probabilidade se não tivesse o comportamento não é mesmo?

Agora em outra perspectiva, imagine que você escolha ter comportamentos sexuais homossexuais, mas desta vez você aceite sua identidade. Você seria “escravo” das consequências de ficar satisfeito com os comportamentos executados, se aceitar como homossexual, ficar feliz consigo, se sentir satisfeito e da mesma forma, seria você que escolheu em executar os comportamentos. Por isso além da escolha em executar comportamentos tenha em vista o modo que você olha para eles. Você é livre para fazer escolhas e é escravo das consequências. Quando me refiro à palavra escravo quero dizer que, de modo automático, se tem consequências independentemente dos comportamentos, porém as consequências nem sempre precisam ser aversivas, muito pelo contrário, podem até ser muito produtivas e satisfatórias, mas serão sempre consequências dos comportamentos executados de maneira inevitável.


Espero que tenha ficado claro para você. Obrigado pela contribuição com seu comentário e continue conectado aqui em “Tudo na Vida é Treino”.

Assim como joão, comente também no Blog, ou envie e-mail para micheldossantossilva@gmail.com e na medida do possível seu comentário será respondido.

¹Nome original não divulgado a pedido do participante, por isso o nome joão é fictício.



segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

O QUE ESCREVER NO SEU TÚMULO SE VOCÊ É...

ESPÍRITA: Volto já.

INTERNAUTA: www.aquijaz.com.br

AGRÔNOMO: Favor regar o solo com Neguvon. Evita vermes.

ALCOLATRA: Enfim sóbrio.

ARQUEÓLOGO: Enfim fóssil.

VICIADO: Enfim, pó!                    

TELEOPERADOR: Só mais um momento que estou gerando o número do velório.

ASSISTENTE SOCIAL: Alguém ai, me ajude.

BROTHER: Fui.

CARTUNISTA: Partiu sem deixar traços.

DELEGADO: Tá olhando o que? Circulando, circulando...

ECOLOGISTA: Entrei em extinção.

ENÓLOGO: Cadáver envelhecido em caixão de carvalho, aroma Formol e After Tasting que denota de Micro-organismos diversos.

FUNCIONÁRIO PÚBLICO: É no túmulo ao lado.

GARANHÃO: Rígido, como sempre.

GAY: Virei purpurina.

HERÓI: Corri para o lado errado.

HIPOCONDRÍACO: Eu não disse que estava doente?!?!

HUMORISTA: Isto não tem a menor graça.

JANGADEIRO DIABÉTICO: Foi doce morrer no mar.

JUDEU: O que vocês estão fazendo aqui? Quem está tomando conta da lojinha?

PESSIMISTA: Aposto que está fazendo o maior frio no inferno.

PSICÓLOGO: A eternidade não passa de um complexo de superioridade mal resolvido.

SANITARISTA: Sujou!!!

CONTADOR DE HISTÓRIA: E viveu feliz para sempre.

SEX SYMBOL: Agora só a terra vai comer.


ADVOGADO: Disseram que morri... mas vou recorrer!!!

SIGA NOSSO BLOG